top of page

Na queda capilar por estresse, os fios voltam a crescer?



Muito se fala sobre os motivos que levam à queda capilar e o estresse, sem dúvidas, está entre eles.


Em tempos atuais, esse problema vem acometendo muitas pessoas, unindo uma rotina mais corrida, hábitos menos saudáveis e o próprio dia-a-dia mais corrido.

Essa relação entre o estresse e a queda de cabelo se dá porque nosso organismo controla o gasto energético corporal através de um sistema de gestão inteligente. O crescimento capilar gasta muita energia, pois é o 2º local no organismo de intensa atividade metabólica, sendo que o 1º local é o sistema sanguíneo com a produção de glóbulos vermelhos.


O estresse intenso, devido a pressões emocionais e, por alterar o nível de cortisol, direciona a energia aos órgãos prioritários para a sobrevivência, com isso há uma diminuição do crescimento capilar, levando vários fios, antecipadamente, para a fase de repouso. Esses cabelos, uma vez na fase de repouso, irão cair cerca de um a três meses depois dessa mudança. Dessa forma, o percentual de cabelos em queda que é de 15% passa para 25% a 40%.


Mas a grande questão é: esse tipo de queda capilar é reversível? Os cabelos "perdidos" por estresse voltam a crescer?

O fio que cai por esse motivo torna-se uma doença que surge em até três meses após um episódio de estresse intenso, mas é bom lembrar que nessa situação o folículo com a raiz estão intactos e na sequência o fio irá crescer novamente, portanto, é uma condição transitória e reversível.


Ou seja, essa é a boa notícia. Diferente de outros tipos de queda capilar, quando é ocasionada por estresse, os fios voltam a crescer. Para que isso aconteça é preciso adotar hábitos que diminuam esse estresse, verificar com um médico especializado se as vitaminas do organismo encontram-se nas medidas corretas e, caso necessário, fazer reposição, escolher produtos que auxiliem nesse fortalecimento capilar, além, claro, de uma alimentação balanceada.

Com essas mudanças, o cabelo tende a voltar ao seu estágio normal. Em caso de uma queda persistente, procure um médico para que possa avaliar o caso.


202 visualizações0 comentário

Comments


fale conosco PNG.png
bottom of page